terça-feira, 5 de agosto de 2008

Yours, Mine



A minha alma e o meu corpo são seus.
O seu interior e exterior são meus.

E, sem sentimentos de posse,
Livremente, somos nossos.
Amo-o livremente
e com um sorriso confiante
ele devolve-me esse amor
para que juntos sejamos livres,
sendo um do outro também.

8 comentários:

Vanessa disse...

:)

tão bom quando é assim.

beijinho grande*

Salto-Alto disse...

Amei! A imagem, o texto, tudo! Obrigada!

Beijocas!

Å®t Øf £övë disse...

Nogs,
Amor e Liberdade em simultâneo, não será um pouco uma utopia?
Beijinhos.

(Un)Hapiness disse...

a liberdade de querer. :)

kiss

Parapeito disse...

Maravilha :) Só assim é que é bom :))

São Rosas disse...

Gostei dos teus blogs, mas especialmente deste.
Este poema é teu? Adorei.

Nogs disse...

Vanessa,
nothing rest for ever... mas quando assim é, realmente é MUITO bom.

Salto-alto,
agora já sabes onde vou buscar inspiração para ambos:P

Art,
Não. O amor sendo amor será sempre liberdade. Conceitos de amores-gaiolas não são credíveis para mim como forma de amor.
Ou se optares ou vires o amor como uma gaiola... também entraste nela livrementem, com direito a opção.

Utopia seria acreditar que este ou qualquer outro amor duraria desde sempre e para sempre igual e intocável.

(un)hapiness e parapeito,

É exactamente isso.
(queres, queres. Não queres??? Fotete:P).

São rosas,
Este pseudo-poema é meu, sim senhor. Posto isto será melhor desistir da minha carreira como escritora, não? :P

Normalmente coloco o nome do autor quando posto coisas que não são minhas, neste caso aqui em específico esqueci-me de colocar o nome da autora da foto, isso sim não é meu (também se nota devido à perfeição dela, obviamente:P).

Beijooosss

São Rosas disse...

Parabéns pelo poema. Se um dia quiseres publicar coisas destas (dentro da temática erótica) no blog «a funda São», só dizes: funda@afundasao.com