quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Red ShOes

Pic by jasperroz
I

Eram 4.00 horas da manhã, continuava às voltas na cama. Ele não chegava e a noite sem os seus braços era gélida demais para si.
Numa tentativa de calor e aconchego os seus pensamentos levaram-na, então, rumo a recordações da sua infância.

Como a maioria das meninas, Adna, brincava muitas vezes em frente ao espelho da sua mãe, pintando os lábios de vermelho e as faces de rosado. Colocava o colar de pérolas branco e fazia biquinho de beijo, com os olhos semicerrados para o espelho: Oh, mon amour, mon amour. Je t'aime, oh comme tu es belle, ma chérie, mon amour, mon amour...
Quando era pequenina não queria ser uma princesa, queria ser uma femme fatale, com uma voz aveludada, encorpada e penetrante como a da Elle Fitzgerald.
Os anos passaram-se e apesar de manter muito dessa menina, era uma mulher, agora. Uma mulher fogosa, determinada, com uma voz semirouca e um ritmo de falar semiquente que arrepiava frequentemente os homens.

Mas a noite continuava fria. Girou, então, a cabeça. Lambeu os dedos, acariciou os seus molhados lábios e fez amor com a saudade. E disse para si mesma, naquele ponto em que tudo se torna ofuscamente colorido e extasiante demais: Oh, mon amour, mon amour...

6 comentários:

PavlovDoorman disse...

Bom ouvir mon amour mon amour com uma voz dessas deve ser "ofuscamente colorido"...eheh

Beijinho

Å®t Øf £övë disse...

Nogs,
Adorei a expressão "fazer amor com a saudade".
Beijinhos.

Nogs disse...

pavlovdoorman,
Ah ah ah!
Há quem diga que sim, há quem diga:P

Art,
:) Creio que não teria uma melhor forma de expressar aquilo que prentendia...

Beijooo

ci disse...

L'amour tem coisas fantasticas...
mas fazer amor com a saudade parece-me um "risco"...

beijo da ci

Oliver Pickwick disse...

Me desculpe pela inocência, querida Nogs! Mas não percebi se é um conto pueril de alta criatividade, ou, um ótimo conto erótico.
Seja o que for, ambas as "versões" são ótimas. ;)
Um beijo!

Baraújo disse...

caliente... com a palavras internacionalmente conhecidas pelo meio... mas que bem! ...

beijo terno petit chérrrrrie