domingo, 24 de junho de 2007

Je n'a plus qu'un seule rien de tout...


Pic by scottjamesprebble

As lágrimas percorrem-me
O meu corpo ansioso de ti,
Mas elas enfraquecem-me
Pois nunca tive o que perdi.

São tuas, sem saberes
E eu sinto-as dentro de mim,
Cada sentimento que esqueceres
Desliza cá dentro como cetim.

Não posso sonhar demais
Nem desejar algo que nunca terei,
Posso apenas esperar no meu cais
onde, sozinha, permanecerei...

2 comentários:

Jardim Proibido disse...

Bem sofrido esse teu poema...
Dias melhores virão...

Ilda Oliveira disse...

Na Espera somente compreendemos/meditamos sobre o que se passou...
depois chega a hora de avançar/caminhar para outras coisas acontecerem...
Tem coisas lindas esperando-te na estrada que escolhes-te viver...
Por isso cara Amiga depois dessa paragem necessária. Avança ...
Um Abraço da Contadora de Histórias...vê o outro blog que nasceu creio que está algo por lá que fará sentido a ti.
Um Abraço