terça-feira, 24 de março de 2009

escreVi[-te]




Palpita[S-me] por dentro da pele, 
Brota[S] e acaricia[S]-me
num gesto [de] que[m]
já conhece o [m]eu [corpo].

Deixa[-me] bailar
[n]a [tua] pele,
escrever[-te] [n]o [meu] corpo...

E beber[-te],
[até a]o fim
da[s] [entre]linha[s].


Pic by Micwag

11 comentários:

pepita chocolate disse...

Os teus posts,com as tuas frases, os poemas teus ou dos outros, ficam sempre tão dferentes aqui, e gosto tanto deles assim! Algo simples se tranSforma!

Beijoca!

inv3rs0 disse...

...e ainda palavras não eram ditas, estava feito!

Fada disse...

Escrever... apenas com a ponta do dedos...
Ou um olhar que beija e escreve sem letras...

Muito lindo, nOgS, muito "Tu"... :)

Beijitos

Salto-Alto disse...

Adorei, mais uma vez! Devo ser a fã nº1 deste teu cantinho! :)

Å®t Øf £övë disse...

Nogs,
Diria que por vezes é bom podermos ler nas entrelinhas.
Bjo.

Oliver Pickwick disse...

O lirismo em pura essência, em linguagem moderna.
Este verso "Deixa[-me] bailar[n]a [tua] pele" é um achado raro.
Um beijo!

as velas ardem ate ao fim disse...

Amei!
bjo

Ai e Tal... disse...

Olá miuda!!! Belo poema!!! Reparei que passaste no meu espaço e vim retribuir a visita!!!

***MUAHHHH***

Karlytus disse...

uau.. gostei! mesmo!

Parabéns!

Uma excelente semana!

as velas ardem ate ao fim disse...

Estas bem??

bjo

(Un)Hapiness disse...

as entrelinhas do coração...tão difíceis de decifrar...

**