sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Cá estamos nós outra vez


Viagens atribuladas, encontros furtivos, palavras magoadas, sorrisos roubados, emoção, medo, sofrimento, alegria, amor, encontros e reencontros. Perdemos alguns aviões, encontramo-nos noutros aeroportos e viagens (algumas vezes sem contarmos). Esquecemo-nos de quem éramos, de com quem estávamos e encontrámo-nos, encontrávamo-nos. E um dia deixámos para trás a bagagem do passado, ele abraçou-me, recolheu-me pela mão, deu-me um beijo "a cinquenta e tal graus".


Mais uma etapa nas nossas vidas, new keys, new home;)
Quem já nos conhecia e acompanhou o início desta história de amor creio que nunca diria... mas, cá estamos nós outra vez;)



Olá
sempre apanhaste o tal comboio
eu já perdi dois ou três
entre o ócio e as esquinas
ganhei o vício da estrada
nesta outra encruzilhada.
Talvez agora a coisa dê
o passado foi à história
cá estamos nós outra vez.

Conheço a tua cara
mas não sei o teu nome
escrevo já aqui
não sei o quê arroba ponto com
eu vou-te reencontrar
noutro bar de estação
ou talvez quando perder mais um avião.

O barco vai de saída
tu estás tão bronzeada
é tão bom ver-te assim
ardendo, tão queimada.
Eu quero reencontrar-te
noutra esquina qualquer
sem saber o teu nome
se ainda és mulher
quero reconhecer-te
e beber um café
dizer-te de onde venho
e perguntar-te porquê
sorrir-te cá do fundo
e subir os degraus
eu quero dar-te um beijo
a cinquenta e tal graus
eu quero dar-te um beijo
a cinquenta e tal graus.

Sempre apanhaste o tal comboio
eu já perdi dois ou três
entre o ócio e as esquinas
ganhei o vício da estrada
nesta outra encruzilhada
talvez agora a coisa dê
o passado foi à história
cá estamos nós outra vez
cá estamos nós outra vez...

Jorge Palma – Olá

7 comentários:

Spectrum disse...

és perfeita a usar as palavras..
beijinhos, Ana

Rafeiro Perfumado disse...

Esse beijo a 50 e tal graus, espero que não seja sintoma de Gripá...

beijoca!

Å®t Øf £övë disse...

Nogs,
O Jorge Palma muitas vezes diz exactamente aquilo que me apetecia dizer. E a forma como começaste este teu post, poderia ter isso eu a escrever. Tal foi a forma como me revi nas tuas palavras.
Beijinhos.

Oliver Pickwick disse...

Continuo fã da sua habilidade e modernidade em descrever os amores e os dramas da vida urbana.
Keep the beat!
Um beijo!

APC disse...

releio-te.
beijo.

inv3rs0 disse...

é isso aí...

nOgS disse...

"É isso aí!
Como a gente achou que ia ser
A vida tão simples é boa
Quase sempre
É isso aí!
Os passos vão pelas ruas
Ninguém reparou na lua
A vida sempre continua

Eu não sei parar de te olhar
Eu não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não sei parar
De te olhar

É isso aí!
Há quem acredite em milagres
Há quem cometa maldades
Há quem não saiba dizer a verdade

É isso aí!
Um vendedor de flores
Ensinar seus filhos a escolher seus amores

Eu não sei parar de te olhar
Não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não vou parar de te olhar

É isso aí!
Há quem acredite em milagres
Há quem cometa maldades
Há quem não saiba dizer a verdade

É isso aí!
Um vendedor de flores
Ensinar seus filhos a escolher seus amores

Eu não sei parar de te olhar
Eu Não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não vou parar de te olhar"

http://www.youtube.com/watch?v=9jD0XqnpO58