segunda-feira, 17 de maio de 2010

Reflexões pessoais

Quando uma porta se fecha outra/s se abre/m

É importante perceber isso... É importante sentir e entender que nunca nada é definitivo, mas que devemos alimentar um comportamento positivo face a qualquer situação. O negativismo tende a além do problema original (que muitas vezes poderá nem sequer existir) associar mais ramificações de problemas, quando o que precisamos muitas vezes é apenas não desistir, não nos iludirmos, olharmos a vida com olhos esperançosos de criança e encontrar o “tempo certo” e no dito tempo certo novos caminhos para caminhar com firmeza ao encontro dessas portas que vão surgindo e de nós mesmos. Não quero com isto dizer que deveremos passar os dias sentados à janela à espera que o sol ou a chuva nos indique se esse tempo chegou, ou debaixo de um chaparro no Alentejo a ver se passar alguma aragem fresca e algum turista à procura de dois dedos de conversa, digo apenas que ele chegará (e, na maioria das vezes quando menos se espera) e se o mundo não para por ele, porquê que tu o deverás fazer?

Apesar da chuva constante, do jogo do frio e calor lá fora que quase nos faz pensar que ainda estamos algures por fevereiro, já é maio. Este ano está a passar a correr e “dizem” que o tempo vai continuar a brincar connosco ao longo do verão.
Às vezes cheguei a pensar que o São Pedro brincava comigo, já fartinho de saber o quanto me roubam as energias e ânimos os dias curtos de inverno e a falta de luz e sol. Apostava que o desgraçado se eu decidisse ir viver para o Brasil em busca de bom tempo, muito sol e praia mandaria para lá umas nuvens demoníacas intermináveis e pedia ajuda a Zeus para rebentar algum vulcãozito lá perto.
Foi aí que lhe fiz um pireta e o mandei passear. Depois olhei para dentro de mim e vi um arco-íris brotar.

Aprendemos a viver a cada dia e cada dia nos surpreende com coisas novas, mesmo que muitas vezes estejamos muito distraídos para o notarmos; o piropo do senhor com que te cruzas na esquina, a rapariga gira dos óculos à anos 50 que aparece sem eles no metro, o jornal gratuito que todos os dias levas para casa que hoje já está esgotado, o Benfica que afinal ganhou o campeonato da liga portuguesa, o Barça que perdeu o da Europa, o trabalho em que depositavas tanta fé que se esvai com a chuva e o outro que chegou com falinhas mansas como quem não quer a coisa e afinal é caso para fé, o teu moço que te diz que se tem vindo a casar contigo ao longo destes anos e tu já não entras em pânico que te queira meter às pressas num vestido de noiva em que as ditas não consigam respirar (até porque as desgraçadas são grandes que se fartam...), o medo de perder, da solidão que já não é tão iminente. Tantas coisas, coisas, momentos, sentimentos. Tantas coisas que tenho vindo a aprender, além de me conhecer melhor e voltar a ter fé em outras que tinha perdido. Os caminhos que nos levam para bons ventos às vezes são sinuosos e... "ele há coisas assim".

Vejo nesgas de luz em portas que se entreabrem e onde muitas vezes só conseguia ver escuridão. E noutras vejo sol, muito sol. E este sem a ajuda do São Pedro ou de quaisquer deuses. Descobertas pessoais. As minhas preces foram ouvidas, porque passei a escutá-las e a depositar mais confiança em mim. É preciso olharmos calma e tranquilamente para dentro de nós e a partir de aí para o mundo exterior.
Eu depois desta observação e reflexão acho que este, é o meu caminho para ser feliz.
Um dia de cada vez.

5 comentários:

lampâda mervelha disse...

Viver!

:)*

nOgS disse...

Mervelha!

Sim:D

Obrigada pelas tuas visitas e desculpa por andar tão ausente, mas ando com excesso de trabalho e pouca vontade de "blogar"...

Beijo

Lurdes disse...

Parece-me o caminho certo!

Beijinhos

ZezinhoMota disse...

A vida é para se viver em pleno e nunca para complicar...

Um ano de 2011 muito feliz junto dos amores da tua vida...

Bjnhs do sempre amigo

ZezinhoMota

A Poesia do Zezinho http://zezinhomota.blogspot.com

A Poesia do Zezinho II http://zezinhomota1.blogspot.com

Malu disse...

Realmente, sempre digo, que a VIDA é um desafio desde a hora em que abrimos os olhos com a chegada do SOl até a hora que os fechamos com os raios da LUA.
E nesse intervalo de tempo vamos aprendendo lições...
Abraços