domingo, 11 de janeiro de 2009


Porque a minha vontade tem o tamanho de uma lei da terra.
Porque a minha força determina a passagem do tempo.
Eu quero.
Eu sou capaz de lançar um grito para dentro de mim, que arranca árvores pelas raízes, que explode veias em todos os corpos, que trespassa o mundo.
Eu sou capaz de correr através desse grito, à sua velocidade, contra tudo o que se lança para deter-me, contra tudo o que se levanta no meu caminho, contra mim próprio.
Eu quero.
Eu sou capaz de expulsar o sol da minha pele, de vencê-lo mais uma vez e sempre.
Porque a minha vontade me regenera, faz-me nascer, renascer.
Porque a minha força é imortal.

Cemitério de pianosJosé Luís Peixoto

6 comentários:

M∆ğΐ∆ disse...

Um bom excerto para ler neste inicio de ano...

Quase uma oração para repetetir baixinho quando a tristeza nos fizer sentir fracos perante as adversidades da vida...

O que me despertou este post?

... FORÇA!

Salto-Alto disse...

ADOREI!

inv3rs0 disse...

já não bastava gostares de "muse" (és tu n és?!?) agr tbém gostas do JLP ?? fogo...

eu tbém gosto e muito.reconheci logo o excerto.

inv3rs0 disse...

ah boa acertei então :P
agr é q vou msm à praia
bom trabalho!



mas porque raio tenho que escrever "ingesses" para poder escrevinhar aqui?!?

lampâda mervelha disse...

És "O Mundo"!

Não é coincidência chamar-se "30", é um número, e este ano será o meu!



Beijo de um excelente ano..

as velas ardem ate ao fim disse...

Escolheste um texto de um dos maiores escritores portugueses...palavras para quê?

um bjo